..

Pesquisar

sábado, 12 de fevereiro de 2011

De Lenin a Churchill - Riga, Letônia (12º dia)

Melngalvju nams: totalmente reconstruída 
Cidade Velha (Vecriga)
   Cheguei a estação em Riga. Primeira parada, trocar rublos por litas. Fui na onda das inglesas que estavam no trem. Achamos um lugar dentro da estação. Uma fila enorme. Sentei no meio do corredor. A mochila estava muito cheia e pesada pra ficar parado em pé. Na hora de ser atendido, não trocavam rublos. Continuando a procura.

Catedral do Domo (Doma) - Cidade Velha (Vecriga)
    Encontrei um outro banco para fazer o câmbio já na entrada da estação. Tem uma porta da rua e outra já dentro da estação. Mais uma fila. Nessa resolvi ficar em pé. O local era bem apertado, mas as pessoas foram mais amigáveis. Puxando assunto, reclamando da demora e comentando que a mochila deveria estar pesada. Imagina, dizia eu :-)
Diretamente do século XVII
   Fui a loja que servia de balcão de informações da cidade na estação. Uma garota educada, loira e extremamente bonita atendia dois russos enrolados. Até entendo sobre falar com ela, mas eles insistiam na mesma pergunta e a coitada respondia e eu com a mochila esperando... Quando consegui ser atendido, ela me deu um mapa e as indicações até o albergue. De ônibus e a pé. Não era tão longe. Resolvi andar.
   O caminho foi quase que as margens do caminho do bonde. Me atrapalhei um pouco com a placa de entrada. Bem discreta, mas cheguei. Em nenhum outro dia falei muito sobre o albergue, mas este vale a pena. Um lugar com estilo australiano, muito legal.
Linha do Bonde.
Ao fundo, marco da nova arquitetura letã
Estava cansado e suado. A garota que atendia (todas eram lindas e ultra-simpáticas) perguntou se eu queria a cerveja gratuita que tinha direito naquela hora ou depois. Não tinha o que esperar. Estava com muita sede. Por sinal, a noite, eles dão o jantar (me esqueço se as 18 ou 19 horas). Dá pra ficar mal acostumado...
A sala comum, onde tem o bar é super moderna, cheio de telas LCD com clips passando e um monte de geladeiras. Sempre tocando alguma musica. Vários sofás. Muito show mesmo.

Monumento da Liberdade
   Mas o dia era pra caminhar. O dia estava gostoso. Me lembrou Curitiba na primavera. Depois da friaca de São Peterburgo, na questão temperatura, vim ao paraíso.
   A cidade velha tem um estilo medieval. De fato, os três países bálticos tem prédios muito bem preservados e suas cidades velhas são patrimônios culturais da UNESCO.
Cidade Velha (Vecriga)
Vários sobreviveram a Segunda Guerra, outros foram devidamente restaurados e outros ainda estão em reconstrução. A cada esquina, parece ter viajado no tempo. Algumas são datadas. Podem-se ver casas do século 13.
   Fiz, em boa parte, o roteiro de um carrinho que saia a toda hora com turistas. Resolvi não pegar. Queria andar.
   Fui a um shopping pra comprar algumas coisas que faltavam (leia-se esquecido em algum albergue... :-D) e algum lanche.
Parque Bastejkalns
Cadeados no portão-não entendi
Me indicaram procurar por Dada (na verdade, um grande letreiro de um restaurante japonês, mas era o shopping Galerija Centrs, na Audeju, n 16). Tinha um supermercado lá dentro, o Rimi. Comprei um suco e um sanduíche natural (minha grande refeição, junto com o kebab, nessa viagem.. haha). Nesse supermercado, só dariam sacola se a minha compra ultrapassasse um certo valor. Fui na farmacia em frente. Lá, comprei o resto das coisas (escova de dentes, desodorante, sabonete e saboneteira) e de quebra peguei uma sacola pra guardar tudo.
Parque Bastejkalns
  Andei mais um pouco, parei na praça próxima ao Monumento da Liberdade, estatua construída em homenagem aos mortos da Guerra de Independência Letã. Os soviéticos pensaram em retira-la, mas acabou ficando lá.
   Enquanto comia, vi melhor o parque. Apesar de já estarmos na primavera, as folhas das árvores ainda pouco brotavam. As pessoas iam lá para conversar e comer o seu almoço, assim como eu.
Comecei também a ver um pouco mais das mulheres de lá. Elas eram, na maioria, bonitas de rosto e com um corpo legal. Na Rússia, vi mulheres lindas de rosto, mas muitas sem bunda. Sinceramente, já estava chateado de ver esse tipo fisico. Parecia faltar algo... haha
Catedral Ortodoxa da Natividade
    Fui mais a frente até a catedral ortodoxa da Natividade. Entrei. A venda dentro destava aminada. Tinha muita gente comprando. Aproveitei pra comprar um souvenir religioso.
   Parei mais um pouco, dessa vez na Esplanada. Tinha parado pouco. E aproveitei enquanto via um pessoal jogando bola. Relaxei um pouco.

Parque Kronvalda
   Seguindo, dei uma caminhada em zigue-zague pela cidade velha enquanto voltava ao albergue.
   No cansaço, dei duas paradas para me sentar um pouco: em uma praça e uma igreja.
   Acho igrejas um bom lugar para descansar.
Igreja datada na fachada de 1225
Além do lado turistico/cultural e de serem bonitas, a maioria delas tem banco livres pra se sentar e tem aquelas que tem banheiro livre. Não recomendo, pois podem reclamar, mas nas canhinhadas por aí, já adormeci umas duas vezes em bancos de igreja.
   Lá, peguei um "tour" para um ex-bunker soviético, usado hoje pela policia local para treino. Não foi barato, porvolta de uns 100 ou 150 reais, mas pela curiosidade, paguei. Fui levado de taxi até uma praça, de chão batido e pequenos prédios aparentemente residenciais. No meio da praça, alguns conteiners. Entramos em um deles. Descemos. Embaixo, tem um espaço enorme. Pude ver, além da parte do vendedor e, uma grande área para o treino de tiros. Vamos lá.
Tiros em um ex-bunker soviético
   O cara que me acompanhou não era de muita conversa. Dava dicas de como segurar a arma e nada mais. Quando tentava perguntar alguma coisa, ele respondia: "just shoot" (somente atire). Ok... Se eu paravaum pouco - por segundos - ele repetia também a mesma frase... Só se calou, talvez surpreso, quando acertei um bem no meio do alvo com a pistola. "Just shut up, man !!!" hahaha
Antigo Hangar de Zeppelin, hoje um mercadão
Academia de artes ao fundo
   Os coices foram realmente violentos. Fiquei com o braço dolorido por muito tempo. Uma AK47 realmente é um soco do Anderson Silva. E faz um bom estrago...
   Voltamos pro albergue. Precisava descansar. Tinha andado o dia todo. Como já disse, nos deram o jantar. As meninas de lá fazem pratos simples, mas até direitinhos. Já podem casar... hahaha
   Só lamento que eu tenha chegado em Riga numa segunda. Acho que deveria ter ido numa sexta ou sábado... Aquele lugar deve ser muito show.

Nenhum comentário:

Web Analytics